ASMA NA INFÂNCIA

O QUE É

A asma é uma doença crônica que provoca inflamação nas vias aéreas. O processo inflamatório faz com que os brônquios se estreitem, contribuindo para o surgimento de secreções (catarro) e obstrução da passagem do ar. O resultado é a tosse e a dificuldade para respirar, com gravidade entre as pessoas. Apesar de ser muito comum na infância, o quadro da asma na infância é preocupante, pois a criança pode apresentar crises súbitas e graves mais rápido que o adulto, e a asma mal controlada na infância pode limitar o crescimento e o desenvolvimento das vias respiratórias.

A asma na infância costuma provocar mais hospitalizações e visitas à emergência em comparação à asma em adultos. A asma não tem cura, mas tem controle. Converse com o pediatra, esclareça suas dúvidas e sempre escute o pulmão de seu filho.

DIAGNÓSTICO, CAUSAS E SINTOMAS

Os brônquios das pessoas com asma respondem de forma exagerada frente a fatores desencadeadores de crises como:

  • Infecções virais:
    • resfriado comum
    • gripe
  • Alérgenos:
    • Ácaros/poeira domiciliar
    • fungos, mofo, bolor
    • barata
    • poeira
    • animais
  • Substâncias químicas e irritantes:
    • produtos de limpeza
    • desinfetantes
    • tinta, verniz
    • cloro
    • perfumes
    • cola (odor)
    • inseticidas/repelentes
    • Fumaça de cigarro
    • lareira, fogão à lenha

Entre os sintomas mais comuns da asma na infância, destacamos:

  • tosse arrastada e/ou chiado no peito após processos virais banais
  • falta de ar, tosse ou chiado aos exercícios, durante risada ou cócegas
  • dificuldade em respirar
  • tosse frequente e recorrente
  • chiado no peito
  • respiração curta ou ofegante
  • dor ou sensação de aperto no peito

Crises de asma em crianças podem ser graves e, em casos extremos, podem ser fatais. Por isso é preciso agir rápido e saber identificar o que está acontecendo com seu filho.

Fique atento aos seguintes sinais:

  • A criança pode respirar rápido, tossir ou apresentar um chiado no peito;
  • Pelo uso da musculatura acessória queixa-se de dor ¨na barriga¨, pois está fazendo muito esforço para respirar;
  • As narinas podem se abrir no momento em que ela respira;
  • A área da pele entre as costelas pode afundar a cada inspiração. Também pode ocorrer na parte inferior do pescoço e logo abaixo das costelas

Para o diagnóstico correto da asma, procure o seu médico. O diagnóstico é clínico, e alguns exames costumam auxiliar, como espirometria para as crianças na idade escolar e alguns testes alérgicos.

TRATAMENTO

Prevenção e controle são essenciais para impedir que os ataques de asma comecem. Medicações servem para minimizar a sensibilidade e a inflamação que os brônquios da criança estão sujeitos. O objetivo do tratamento é fazer com que os pulmões reajam com menos intensidade aos agentes desencadeadores.

De forma geral temos duas categorias de medicamentos no cuidado do paciente asmático: aqueles usados de forma preventiva e outros para uso nas crises. Os medicamentos usados na prevenção das crises são medicamentos de uso contínuo que vão atuar reduzindo a inflamação dos brônquios e deixando os brônquios menos exageradamente responsivos aos fatores desencadeantes. Os medicamentos usados nas crises vão garantir a dilatação dos brônquios e reduzir o processo inflamatório agudo que ocorre no momento de crise.

Asma na infância no Brasil

O Brasil está entre os países com mais casos de asma na infância no mundo.

Acredita-se que até 20% da população infantil no país apresenta os sintomas da asma.

A IMPORTÂNCIA DO CONTROLE

A asma na infância pode ser um desafio para a família. Muitas vezes a criança fica frustrada ou irritada por precisar interromper suas atividades habituais para evitar crises, quando a doença não está adequadamente controlada. Outro fator relevante é a sensação de constrangimento e limitação devido aos sintomas, levando muitas vezes a um quadro de sedentarismo e até mesmo de obesidade.

Mas a asma não precisa ser uma condição limitante, pois a criança com asma bem tratada poderá manter todas atividades normais, inclusive os exercícios físicos. A melhor maneira de superar a asma é conhecer a doença, entender os sinais, controlar os sintomas e manter o tratamento preventivo adequado.

Fale com o pediatra de seu filho, ou procure um pneumologista pediátrico.